x
Novidades

Fique por dentro dos principais conteúdos, notícias e novidades.



Dia Mundial da Visão

No Dia Mundial da Visão, este ano celebrado neste dia 8 de outubro, vamos chamar a atenção a um problema que atinge cerca de 20% da população mundial: a síndrome do olho seco. Fique por dentro!

Irritação nos olhos, vista um pouco embaçada, vermelhidão: quando estes sinais aparecem, pode ser que você esteja vivendo um episódio da síndrome do olho seco, melhor definida como disfunção lacrimal. Trata-se de uma doença com várias causas, que basicamente provoca uma instabilidade da superfície ocular.

De acordo com a Dra. Faride Tanos, Médica Oftalmologista da Clínica de Olhos do Professor Renato Ambrósio Jr., suas causas alteram a qualidade da lágrima e levam a sintomas de ressecamento e diminuição na qualidade da visão: “Normalmente, o paciente se queixa de sensação de areia, desconforto, visão instável e vermelhidão”, afirma.

A principal causa de olho seco no mundo é a disfunção das glândulas de meibomius, responsáveis pela produção de lipídeos liberados pelas pálpebras durante o ato de piscar: “Algumas pessoas sofrem de formas mais graves de olho seco, como aqueles que têm doenças autoimunes. Também são comuns as formas mistas, na qual o mesmo paciente possui deficiência aquosa e aumento da evaporação”, explica Faride.

Como prevenir o olho seco?
Para manter uma visão saudável, a Dra. Faride alerta sobre alguns hábitos que são prejudiciais e podem desencadear diversos problemas oculares, como o olho seco. Por isso, é importante seguir algumas dicas:

  • Não coce ou esfregue os olhos;
  • Higienize as pálpebras e cílios diariamente;
  • Só use colírios sob orientação médica;
  • Faça pausas e pisque com frequência enquanto estiver concentrado em frente a dispositivos eletrônicos;
  • Cuide da alimentação e beba água;
  • Use óculos com proteção solar;
  • Atenção com maquiagem na área dos olhos;
  • Consulte seu oftalmologista anualmente.

Exame preventivo: a forma ideal para evitar o olho seco
Podemos dizer que hoje em dia praticamente todas as pessoas apresentam algum grau de ressecamento da superfície ocular, por isso o ideal é visitar o oftalmologista pelo menos uma vez ao ano para identificar um possível problema: “Uma avaliação clínica, mesmo em um exame de rotina, já pode detectar qualquer alteração”, enfatiza Faride.

Tratamento: comece pela conscientização!
O primeiro passo para tratar a síndrome do olho seco é a conscientização e a educação do paciente, além da introdução de colírios lubrificantes: “A higiene diária das pálpebras é a primeira e mais importante etapa. Ela deve ser realizada cuidadosamente, de preferência com produtos específicos, sem esfregar os olhos”, indica Faride. “A suplementação com ácidos graxos essenciais tipo ômega 3 também pode beneficiar os pacientes, assim como a ingestão abundante de água”, completa, lembrando que para receber qualquer orientação específica, é fundamental procurar um médico especializado. “É importante entender, por meio de testes mais específicos, se o problema está na qualidade da lágrima ou na “quantidade” de lubrificação (deficiência aquosa). A partir daí é possível instituir o tratamento adequado”, conclui Faride.

 

Você sabia?

60% das formas de cegueira são evitáveis, isso significa que mais da metade das pessoas que apresentam algum tipo de cegueira poderiam ter uma visão saudável se tivessem acesso à prevenção e ao tratamento. Para chamar a atenção da população a esta importante questão, a Organização Mundial da Saúde criou o Dia Mundial da Visão. E você, já fez sua consulta oftalmológica este ano?

 

 

Referência:

  1. http://www.cbo.com.br/novo/publicacoes/condicoes_saude_ocular_brasil2019.pdf



Ir para o topo