x
Novidades

Fique por dentro dos principais conteúdos, notícias e novidades.



Eficiência reprodutiva em bovinos: o que é e como mensurar

Por ser um investimento alto e que, em tese, gera uma margem de lucro inferior, elevar a eficiência reprodutiva em bovinos é um desafio sempre presente neste setor.

Na bovinocultura leiteira, por sua vez, tanto a produção quanto a sua rentabilidade são influenciadas por um conjunto de fatores, como alimentação, saúde e, por que não, reprodução dos animais.

Segundo a literatura acadêmica nos apresenta, nos últimos anos, os recursos aplicados na seleção genética foram utilizados para que a produção de leite aumentasse, em detrimento da performance reprodutiva.

Assim, percebeu-se que quando há uma baixa eficiência reprodutiva de bovinos, uma série de prejuízos podem afetar todos os processos produtivos do setor.

Por conta disso, é importante que investimentos visando um manejo adequado dessa reprodução sejam realizados. 

Isso porque, quando comparadas aos benefícios disponibilizados, as despesas acabam sendo mínimas, justamente porque oferecem maior eficiência ao processo.

Ficou interessado em saber mais sobre eficiência reprodutiva em bovinos e como as alternativas disponíveis podem beneficiar a lucratividade da empresa?

Então, continue conosco e boa leitura! 

O que é eficiência reprodutiva?

Damos o nome de “eficiência reprodutiva em bovinos” os recursos empregados para que a vaca emprenhe de forma rápida e ágil – logo após o tempo em que há uma espera não forçada.

Esse recurso utilizado é importante por uma série de fatores. 

Afinal, quando não há eficiência na reprodução, tanto a produção de leite quanto a lucratividade podem ser diminuídas de forma significativa na empresa.

Além disso, quando se tem acesso a dados sobre os fatores que afetam o desempenho reprodutivo dos bovinos, torna-se possível detectar determinados problemas logo no início.

Assim, quando precocemente identificados, há a possibilidade de manejá-los de forma corretiva a fim de que o problema não evolua e tome proporções maiores.

Quais são os fatores que afetam o desempenho reprodutivo dos bovinos?

Agora que você entendeu um pouco mais sobre a eficiência reprodutiva em bovinos, bem como sua importância, chegou o momento de identificar quais são os fatores que afetam esse desempenho.

Isso porque, como mencionado anteriormente, é por meio deles que o empresário poderá tomar decisões mais assertivas, já que terá acesso à realidade da sua produção.

Afinal, manter a lucratividade (ou até mesmo aumentá-la), bem como alcançar os resultados almejados são os principais objetivos de quem desempenha suas atividades na bovinocultura.

Como você já deve ter percebido, esse não é um sistema tão simples assim. Porém, com o conhecimento e recursos adequados, você será capaz de realizar um manejo eficiente. 

Acompanhe!

Detecção de cio

Uma coisa é certa: a capacidade reprodutiva das vacas tem uma forte ligação com a produtividade nas fazendas que atuam com produção de leite.

No entanto, nos últimos anos, têm-se visto uma queda brusca na fertilidade das vacas que, outrora, possuíam uma produção elevada. 

Sem dúvida, alguns fatores, como causas genéticas, nutricionais, fisiológicas etc., podem explicar este cenário. 

A detecção de cio, por sua vez, é um deles. Afinal, ele afeta a chamada “taxa de serviço” e, consequentemente, eleva o tempo entre o parto e o período da concepção.

Com o tempo, houve uma queda no tempo de detecção de estro. Essa expressão do estro, principalmente em vacas leiteiras, tem sido menor, o que dificulta que o cio seja detectado.

Antes, inclusive, o cio era expresso em, aproximadamente, 15 horas. Hoje, por outro lado, as vacas que possuem uma produção alta estão expressão em 7 horas.

Anestro pós-parto 

O anestro – tempo em que determinado animal fica inativo sexualmente – costuma acontecer em certos períodos, como o pós-parto.

Ele, por sua vez, é um dos fatores que acaba interferindo na eficiência reprodutiva de bovinos, tanto na atividade sexual natural quanto nas estratégias de inseminação. 

Sem dúvida, quando há um anestro duradouro e prolongado, há um período maior de serviço. Inclusive, o custo de produção acaba maximizando, justamente por conta do processo.

Afinal, quando este cenário se instala, é preciso que uma jornada de monta maior seja estabelecida, porém isso acaba contribuindo para que animais fiquem vazios no final deste período. 

Logo, recursos alternativos devem ser implementados para que a fêmea consiga expressar seu cio de forma mais rápida e eficiente, como uma ótima alimentação, saúde, conforto etc. 

fatores que influenciam a eficiência reprodutiva em bovinos


Balanço energético pós-parto

No começo do período de lactação é bastante corriqueiro que bovinos, principalmente os de alta produção, tenham um balanço energético negativo pós-parto. 

Essa deficiência, no entanto, pode gerar problemas ainda maiores no que diz respeito à fisiologia da vaca, incluindo retardo no desenvolvimento de folículos, bem como outros pontos.

Porém, uma ressalva deve ser mencionada: o anestro pós-parto, como referido anteriormente, influencia de forma significativa em todo o processo produtivo.

Isso porque, caso a vaca não apresente estro nos 30 dias após ter parido, há um risco maior delas serem descartadas, mesmo se alguns recursos forem empregados.

Doenças pós-parto

Outro fator que contribui diretamente na eficiência reprodutiva de bovinos são as doenças pós-parto e a necessidade de preveni-las e, quando já instaladas, controlá-las. 

Afinal, esse é um dos manejos mais importantes quando se quer aumentar a produtividade das vacas leiteiras. Inclusive, os recursos para impedir este cenário no pós-parto são fundamentais.

Algumas das doenças mais corriqueiras durante o pós-parto e que prejudicam o momento do retorno estral são:

  • hipertermia;
  • distocia;
  • infecção uterina;
  • retenção de placenta. 

As doenças infecciosas, por sua vez, também contribuem para que a reprodução eficiente de bovinos seja prejudicada.

Afinal, elas são a principal causa não só de abortos como também de mortalidade do embrião.

Aqui, no Brasil, as doenças infecciosas mais encontradas e que desencadeiam quadros deste tipo são:

  • leptospirose;
  • rinotraqueíte infecciosa bovina;
  • tricomoníase;
  • brucelose;
  • diarreia viral bovina
  • campilobacteriose bovina;
  • neosporose.

Estresse calórico

Por último, mas não menos importante, temos um outro fator que influencia na eficiência reprodutiva em bovinos: o estresse calórico. 

Sabe-se que o bem-estar e o conforto atribuídos ao animal garantem uma habilidade reprodutiva muito maior, logicamente.

No entanto, algumas pesquisas têm apontado que o estresse calórico é um fator que influencia negativamente neste processo, prejudicando, assim, o processo de concepção.

Assim, contribui para que haja perdas embrionárias severas, expressão do estro reduzida e ovulação inadequada. 

Para que esse quadro seja revertido (ou até mesmo prevenido), alguns fatores devem ser levados em consideração, como o controle das instalações no que diz respeito à temperatura.

Assim, para que o estresse seja reduzido, têm-se a necessidade de instalar ventiladores, bem como aspersores de água, nas instalações, principalmente nas épocas mais quentes do ano.

Inclusive, é fundamental que haja a figura de uma pessoa devidamente treinada e capacitada para identificar qual a temperatura adequada para gerar este conforto térmico. 

como calcular a eficiência reprodutiva em bovinos


Como calcular a eficiência reprodutiva do rebanho?

Os Índices Zootécnicos Reprodutivos são a melhor maneira de descobrir quais os principais problemas que estão centrados na baixa eficiência reprodutiva em bovinos. 

Afinal, sabe-se que essa baixa reprodução acaba gerando prejuízos significativos para quem atua na área da bovinocultura, como mencionado anteriormente.

Logo, contar com estratégias e recursos que visam reverter essa situação são muito bem-vindos.

Hoje, os principais índices que possibilitam a mensuração adequada dessa eficiência reprodutiva em bovinos são:

  • taxa de concepção (TC);
  • taxa de serviço (TS);
  • período de espera voluntário (PEV).

O PEV pode ser identificado como o tempo necessário para que haja uma regressão uterina adequada, bem como sua involução, após o período do parto.

A TC vai determinar se a criação bovina não está gestante, enquanto que a TS irá identificar se as vacas não estão sendo atribuídas ao serviço (monta natural, inseminação etc.).

Por meio desses índices, por sinal, têm-se o que se conhece como “taxa de prenhez”, bem como o intervalo entre partos (IEP) e o período propriamente dito de serviço (do parte à concepção). 

Como melhorar a eficiência reprodutiva em bovinos: entenda

Para que a eficiência reprodutiva em bovinos seja maximizada, o primeiro passo deve ser avaliar todo o rebanho, bem como os processos produtivos aplicados. 

Afinal, como você pode perceber, existem uma série de fatores que, mesmo que de forma indireta, acabam afetando a qualidade do rebanho, bem como sua eficiência reprodutiva.

Inclusive, o modo como as vacas são cuidadas pode contribuir para que a produtividade tenha ganhos mais expressivos na sua empresa. 

Para isso, alguns pontos precisam ser levados em consideração, tais como:

  • tenha bastante atenção ao sêmen (principalmente nas estratégias de inseminação);
  • invista em treinamentos na equipe que irá realizar os procedimentos de inseminação, bem como os demais processos;
  • procure estabelecer protocolos oficiais de controle hormonal, principalmente para evitar que o nível de cio seja reduzido;
  • faça controle de doenças de forma periódica, justamente para que os recursos empregados sejam menores, principalmente quando comparados ao tratamento de doenças preexistentes.

Como a baixa eficiência reprodutiva em um rebanho pode prejudicar a lucratividade da atividade?

Como você foi capaz de entender, a baixa eficiência reprodutiva em bovinos prejudica de forma significativa a lucratividade da atividade leiteira.

No entanto, mesmo com tantos obstáculos, existem soluções práticas e eficientes para que o rebanho tenha um aumento expressivo de sua reprodução.

O Posilac, por sua vez, é um produto utilizado para aumentar a fertilidade em vacas leiteiras em lactação durante o período de implantação de programas reprodutivos, aumentando significativamente a taxa de concepção e a redução da mortalidade embrionária.

E aqui, na União Química, você encontra produtos selecionados para que você garanta um aumento na eficiência reprodutiva em bovinos e, dessa forma, conquiste mais lucratividade.

Acesse o nosso site e conheça um dos melhores produtos para a bovinocultura disponíveis no mercado: o Posilac.

eficiência reprodutiva para aumentar a lucratividade


No conteúdo de hoje, você aprendeu mais sobre a eficiência reprodutiva em bovinos, bem como qual a importância de utilizar recursos para maximizar esse processo.

Além disso, foi capaz de conhecer alguns fatores que influenciam diretamente na eficiência reprodutiva e como eles podem ser detectados mais precocemente.

 Assim, é possível estabelecer medidas que irão contornar a situação e garantir mais expressividade ao processo, fazendo com que os lucros da empresa aumentem de forma significativa.

Por fim, pode conferir a qualidade dos produtos da União Química, uma empresa que coloca o paciente em primeiro lugar e que está em constante evolução para sempre garantir qualidade de vida e bem-estar.

Para continuar aprendendo, acesse o blog da União Química e não perca nenhuma novidade.

Fontes



Ir para o topo