x
Novidades

Fique por dentro dos principais conteúdos, notícias e novidades.



Lágrima artificial: Saiba o que é, quando usar e os benefícios !

A lágrima artificial é um recurso muito utilizado por oftalmologistas no tratamento do ressecamento ocular, em decorrência de oscilações do clima, uso excessivo de telas (tablet, computador, celular), pós-cirurgia de miopia e catarata, entre outras causas.

Inclusive, esse é um fator que contribui para o agravo de certas doenças oculares. 

Aqui no Brasil, por exemplo, nas épocas do ano em que a baixa umidade do ar predomina, é um dos motivos para que essa estratégia seja amplamente utilizada.

A composição das lágrimas artificiais não é igual à das lágrimas naturais, mas são capazes de hidratar a superfície ocular e dar um conforto maior à região.

Ficou interessado em conhecer mais sobre esse assunto, seus principais benefícios e como utilizá-la de maneira adequada?

Então, continue conosco e boa leitura!

O que é lágrima artificial?

Geralmente, pessoas que permanecem longos períodos em ambientes fechados e com ar-condicionado, sofrem com ressecamento dos olhos ou alguma irritação ocular. 

Além desse fator, outros podem desencadear esses mesmos quadros, como clima seco, tempo prolongado à frente de tela, menopausa etc. 

Para essas e outras condições, ela é uma excelente alternativa. Mas, afinal, o que é uma lágrima artificial?

De forma simplificada, são soluções de composição variada cuja função é lubrificar os olhos. 

Assim, são capazes de aliviar a irritação ocular e aliviar os sintomas, como a coceira, por exemplo.

Lágrima artificial, para que serve?

Antes de entender melhor para que elas servem é importante mencionarmos a composição do filme lacrimal e suas três camadas.

Afinal, é justamente a repor esse filme que se propõem as lágrimas artificiais, principalmente quando há alguma ruptura em sua integridade, o que gera um desconforto. 

As três camadas do filme lacrimal são:

  • aquosa;
  • lipídica;
  • mucina.

Logo, podemos compreender que elas servem para auxiliar na lubrificação, hidratação e, consequentemente, na proteção da superfície ocular.

Porém, vale ressaltar que nem todas as lágrimas são desenvolvidas de forma similar. 

Algumas, por sua vez, são capazes de aumentar a hidratação dos olhos por um período maior do que outras. 

Por isso, é importante conhecer a composição da lágrima artificial que está sendo adquirida. 

Diferença entre colírio e lágrima artificial

Lágrima artificial x Colírio: quais são as diferenças?

Embora muitas pessoas conheçam esses dois produtos como “sinônimos”, há uma diferença bem marcante entre eles. 

Isso porque, a lágrima artificial é um tipo de colírio – que se pode comprar sem prescrição médica, inclusive. 

Por outro lado, existem certos colírios que são vendidos apenas mediante a apresentação do receituário médico para tratamento de outras doenças oculares.

O uso indiscriminado de lágrimas artificiais erradas pode resultar em problemas maiores ao paciente, como piora do ressecamento ocular e até mesmo perda parcial/total da visão. 

Assim, recomendamos que, antes de tomar a decisão de recorrer às lágrimas artificiais, fale com seu oftalmologista para que ele indique a melhor opção para o seu caso.

Abaixo, pontuamos algumas diferenças entre a lágrima artificial e o colírio. Continue conosco e acompanhe!

Lágrima artificial

Como você percebeu nos tópicos anteriores, esse recurso é utilizado para repor as lágrimas naturais e, assim, fazer com que a superfície ocular fique sempre lubrificada e hidratada.

Dessa forma, uma série de problemas são prevenidos, inclusive o agravamento de certas condições que possam vir a atingir a região. 

Lágrimas artificiais podem ser vendidas sem prescrição médica. Porém, isso não é uma justificativa para que a visita ao oftalmologista seja negligenciada.

Afinal, é importante descobrir qual a raiz do problema, justamente para saber o período do tratamento com a lágrima artificial ou se outra intervenção se fará necessária.

Colírio

Os colírios medicamentosos, por outro lado, são comercializados sempre com prescrição médica,pois são indicados para tratar problemas oculares específicos, como o glaucoma por exemplo.

Além disso, existem colírios que demandam um tempo mínimo de uso, como os que contêm antibióticos em sua composição. 

Portanto, seu uso deve ser feito de forma correta de acordo com a prescrição médica. Assim, você conhecerá a duração do tratamento, bem como seus possíveis efeitos adversos. 

Usar lágrima artificial continuamente pode fazer mal?

Na verdade, usar lágrima artificial não faz mal. O problema está no uso incorreto de determinados lubrificantes oculares.

Alguns possuem compostos que auxiliam na hidratação e lubrificação dos olhos, como você já foi capaz de aprender. 

Por outro lado, existem alguns que são fabricados com certos conservantes, os quais, após um tempo excessivo de uso, podem desencadear danos à saúde ocular.

Quais são os benefícios da lágrima artificial?

O principal benefício das lágrimas artificiais é a promoção da lubrificação e consequente hidratação dos olhos a fim de evitar certas inflamações e o desconforto ocular.

Em tempos de uso frequente de computadores e celulares, o uso desses lubrificantes oculares se torna uma estratégia poderosa para evitar olhos ressecados e doloridos. 

Lembre-se sempre: tudo que for utilizado nos olhos precisa do acompanhamento de um oftalmologista, principalmente quando você estiver realizando um outro tratamento.

Indicação da lágrima artificial

Quando é indicado o uso de lágrima artificial?

Comumente, a lágrima artificial é utilizada no tratamento da chamada Síndrome do Olho Seco, uma doença  mais frequentemente associada à maior evaporação das lágrimas (olho seco evaporativo).

Essa doença causa um grande desconforto ao paciente, com sintomas como irritação ocular, coceira, vermelhidão, além de instabilidade da visão, pois o filme lacrimal fica comprometido.

Com o tempo – e se não tratada de forma adequada – pode evoluir para problemas mais complexos e necessitar também de tratamentos mais complexos.

Porém, é importante que você saiba que elas não são indicadas apenas no tratamento dessa Síndrome.

Na verdade, seu leque de aplicações é maior. Acompanhe!

Conjuntivite

A conjuntivite é a inflamação da conjuntiva, uma membrana fina e transparente que reveste a parte branca do olho.

Esse problema pode ser desenvolvido tanto por conta de substâncias irritantes, quanto componentes químicos contidos nos ar, como fuligem.

Seja qual for o tipo de conjuntivite, um dos tratamentos é a utilização de lágrima artificial, justamente para favorecer uma maior hidratação da região e, assim, gerar um conforto a mais para o paciente.

Ceratite

A ceratite, por outro lado, é uma inflamação que acomete a córnea. 

Ela pode aparecer no indivíduo a partir do ressecamento dos olhos ou quando algum corpo estranho acaba penetrando a região, como bactérias, fungos etc. 

Pelo risco associado à ceratite o tratamento adequado deve ser iniciado de forma imediata.

Para usuários de lentes de contato 

Algumas lentes de contato são mais rígidas e, assim, podem machucar a região ocular. Logo, para esses casos, a lágrima artificial torna o ambiente mais lubrificado e permite um melhor deslizamento das lentes sobre a superfície ocular.

Assim, as lentes de contato são capazes de se adaptar de forma mais apropriada.

Mesmo com lentes gelatinosas, esse quadro também pode ocorrer. Para essas, tal como com lentes de contato rígidas, os colírios lubrificantes são excelentes soluções.

Como usar a lágrima artificial?

É importante frisar, acima de qualquer recomendação, que o uso da lágrima artificial deve ser feito apenas de forma externa.

A utilização deve ser feita a partir das orientações do seu médico oftalmologista, principalmente se outro tratamento estiver em curso.

Sabendo isso, chegou o momento de entender como utilizar esses colírios lubrificantes de forma apropriada, sem que haja prejuízo na sua visão. Vamos lá?

O primeiro passo é lavar bem as mãos. Pense que você estará tendo contato com uma região bastante sensível. Logo, todo cuidado é pouco!

Inclusive, evite tocar na ponta do recipiente ou encostar a ponta do frasco nos olhos ou cílios, justamente para não contaminar o frasco que será utilizado mais vezes. 

Ao aplicar, procure inclinar para trás a cabeça, olhar para cima e puxar para baixo a pálpebra inferior até formar um tipo de bolsa.

Após a aplicação, seque a parte que escorreu pelo rosto e feche o recipiente de forma apropriada. Para mais informações, procure ler a bula da lágrima artificial adquirida. 

Porém, lembre-se: a procedência do produto adquirido e a data de validade devem ser verificadas previamente. 

Aqui, na União Química, por exemplo, você encontra os melhores produtos oftalmológicos para o seu tratamento. 

Acesse o nosso site e conheça todos os produtos oftalmológicos que temos para oferecer.

Como usar lágrima artificial

Conclusão

No conteúdo de hoje, você aprendeu mais sobre o que é, quais os benefícios e a forma correta de utilizar a lágrima artificial. 

Outro tópico abordado ao longo deste artigo foi sobre a importância de consultar periodicamente seu médico oftalmologista.

Por fim, mas não menos importante, foi capaz de perceber a importância de investir em produtos de qualidade, como os da União Química – uma empresa que coloca o paciente em primeiro lugar e que está em constante evolução para sempre garantir os melhores produtos para a população.

Gostou de aprender mais no conteúdo de hoje? Se sim, continue aprendendo acessando o nosso site e descobrindo como entender a bula do seu medicamento ficou mais fácil.

SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.

Entre em contato com o SAC pelo e-mail faleconosco@uniaoquimica.com.br ou pelo telefone 0800 011 15 59.

Fontes



Ir para o topo